segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ALIMENTAÇÃO sem GLÚTEN



Imagino, que alguns dos meus seguidores, devem perguntar-se porque é que as receitas do meu blog apresentam baixo valor de glúten e há alguma preocupação na escolha dos ingredientes por causa dessa proteína – o Glúten. 

O Glúten é uma substância encontrada no trigo, no centeio, na aveia, cevada, malte. Assim sendo, podemos encontrar glúten no pão, nos bolos, na massa, nas bolachas, nas tostas, na cerveja e no whiskey.



Será que o glúten só faz mal a quem tem a doença celíaca? 

Porque é que sentimos inchaço, dificuldade em fazer a digestão, temos diarreia, flatulência, eructos, mau estar? Porque é que há pessoas que não conseguem emagrecer, por mais que façam dieta? Será que apenas quando nos detetam intolerâncias alimentares é que tomamos precauções e cuidados com esses alimentos? E se o nosso organismo não é intolerante, mas tem pequenas reações inflamatórias a esses alimentos, e nós não valorizamos esses sintomas? E se a longo prazo essas pequenas reações se tornam num problema realmente grave?

Essas pequenas reações, não são mais do que inflamações do nosso sistema digestivo. O glúten forma uma espécie de cola, que com o passar do tempo provoca saturação do sistema digestivo, provocando aumento de gordura abdominal, dores articulares, alergias cutâneas e depressão.


Nada está proibido… só de vez em quando!



Em Novembro, na primeira aula de Naturopatia, com o Dr. André Dourado, foi-nos feita uma proposta de mudança de alimentação. Eu e o meu marido adoramos a ideia, e mãos à obra!! 



Não somos fundamentalistas, e continuamos a ingerir glúten, mas de forma muito mais moderada. 

Uma verdade, é que na alimentação Portuguesa, consumimos glúten 7 dias por semana! O nosso pequeno almoço, costumava ser pão, tostas ou cereais, o lanche idem… e muitas vezes, ao almoço ou ao jantar, comíamos uma boa massa!

Desta forma, em casa quando estamos só os dois, evitamos o consumo de glúten. Ao pequeno-almoço, comemos fruta, frutos secos, frutos desidratados, bagas, sementes, iogurte. Nas refeições principais, evitamos cozinhar massa ou fazer pizza, comendo na mesma muito bem!

Sentimo-nos bem, leves e com energia.


Um Conselho…


Se acha difícil deixar de consumir glúten, pelo menos diminua o consumo. Tente fazer um pequeno-almoço sem glúten!
Deixo-lhe uma lista de alimentos sem glúten. Se não conhece alguns deles, experimente, vai ver que existem imensos alimentos novos que são deliciosos!
Fruta

Frutos secos

Leguminosas

Legumes
Arroz 
(farinha de arroz, tortilha de arroz, leite de arroz)
Quinoa 
(farinha de quinoa)
Batata 
(fécula e amido de batata)
Milho 
(farinha de milho, fubá, amido de milho ou maisena, flocos de milho, pipocas, tortilhas de milho)
Millet
Mandioca 
(farinha de mandioca, polvilho doce, polvilho azedo)
Carne
Peixe
Sal
Açúcar
Chocolate em pó
Cacau
Gelatinas
Óleos
Manteigas e margarinas em geral

PÃO sem GLÚTEN
Esta semana vamos comer pão ao pequeno almoço!


  - 2 chávenas de farinha de arroz
  - 1 c. sopa de gãos de quinoa
  - 1 c. sopa de linhaça triturada
  - 1 c. chá de sal
  - 2 c. chá de fermento biológico seco
  - 4 c. sopa de azeite extra virgem de oliveira
  - 1 e ½ c. sopa de açúcar mascavado
  - 2 ovos
  - 1 e ½ chávena de leite de arroz morno
  - 1 c. chá de gelatina vegetal em pó (agar-agar)
  - 1 c. sopa de sementes de girassol
  - 1 c. sopa sementes de abobora
  - 2 c. sopa sementes de sésamo


Misture todos os ingredientes acima referidos até aos ovos. Quando aquecer o leite dissolva a gelatina, mexendo até que todas as areias da gelatina sejam dissolvidas. Junte ao preparado anterior e misture bem.

Reserve a massa e deixe-a levedar por 1h em ambiente neutro, até que esta cresça para o dobro.

Quando a massa estiver levedada, junte-lhe as sementes de girassol, de abóbora e 1 colher de sésamo. 

Unte uma forma com azeite e farinha de arroz. Coloque a massa sobre a forma, e decore a massa com a restante colher de sementes de sésamo.
Leve ao forno previamente aquecido a 200º durante 1 hora. Vá olhando de forma que não fique muito queimado. 

Coma-o ao pequeno-almoço ou ao lanche com o ingrediente que preferir. Sugiro-lhe queijo de cabra ou mozzarela, mel ou uma compota caseira com baixo teor de açúcar. 
Pode usá-lo também para entrada, servido com um bom azeite de oliveira e ervas, ou um patê!
Postar um comentário