quinta-feira, 29 de maio de 2014

MELATONINA

Começo a sentir necessidade de vos falar em alguns suplementos alimentares. Escolhi a melatonina porque é um suplemento que me despertou muita curiosidade, uma vez que era completamente desconhecedora do assunto. Todos nós já perdemos uma noite e dormimos durante o dia, sentindo os efeitos secundários da mudança do fuso horário. Qual a explicação fisiológica para o efeito de jet-lag, até quando conseguimos dormir o número de horas habitual? Porque é que as pessoas que trabalham à noite e por turnos apresentam um envelhecimento precoce? Tudo isto tem uma explicação, e estes efeitos podem ser minimizados com este suplemento alimentar!

A melatonina é produzida na glândula pineal que é responsável pela organização temporal dos nossos ritmos biológicos, atuando como mediadora entre o ciclo ambiental claro e escuro e os processos reguladores fisiológicos, incluindo a regulação endócrina da reprodução, a regulação dos ciclos de atividade/repouso e sono/vigília assim como a regulação do sistema imunológico, entre outros. Esta hormona é sintetizada e segregada apenas durante o período da noite, funciona como um sinalizado, para o meio interno, do dia e da noite. Fisiologicamente, a secreção de melatonina aumenta pouco depois de começar a escurecer, atinge o seu pico entre as 2 e as 4 horas da manhã e diminui durante a segunda metade da noite.

A principal função da melatonina é regular o sono. Quando nos encontramos num ambiente escuro e calmo, os níveis de melatonina do organismo aumentam, causando sono, e é por isso importante quando vamos dormir eliminar as fontes de luz, som, aroma, ou calor que possam acelerar o metabolismo e impedir o sono. Desta forma, a melatonina tem sido utilizada na terapêutica das perturbações do sono principalmente nas insónias, nos transtornos decorrentes da mudança de fusos horários e nos trabalhadores por turnos.

Outra função importante da melatonina, é ser um antioxidante, agindo na recuperação das células epiteliais expostas a radiação ultravioleta e, através da administração suplementar, ajuda na recuperação dos neurónios afetados pela doença de Alzheimer, por episódios de isquemia (Acidentes Vasculares Cerebrais) e no tratamento da epilepsia. A sua função antioxidante também ajuda a retardar os processos de envelhecimento. Por sua vez, com o envelhecimento, a sua produção diminui, uma vez que com o avançar da idade, a glândula pineal vai calcificando aumentando o envelhecimento do organismo.

Uma pessoa que se encontra diariamente exposta a situações de stress apresenta diminuição de produção de Serotonina e Melatonina. Explicando de forma mais detalhada, o stress produz Adrenalina e Cortisol. Cada molécula de Adrenalina produz quatro moléculas de Radicais Livres o que aumenta a possibilidade de lesão celular, para além disso a adrenalina e o cortisol, produzem uma enzima que inibe a Glândula Pineal (produtora de melatonina). 

A diminuição de Melatonina e Serotonina também pode gerar compulsão por hidratos de carbono, com tendência a aumento de peso e depressão.

Fontes Naturais de Melatonina
Nos alimentos, a melatonina existe em pequenas quantidades, mas podemos encontra-la nos seguintes alimentos:

   Frutos - cereja, banana, nozes, casca da uva
   Legumes – cebola, tomate
   Cereais - milho, aveia, arroz
   Ervas Aromáticas - hortelã, verbena, salva, tomilho
   Vinho Tinto e Azeite de Oliveira

Suplementação de Melatonina
A Melatonina sintética natural de origem vegetal é administrada em suplemento alimentar na forma de cápsulas. Consumo mínimo é de 0,5mg a 1mg antes de se deitar.

Contra indicações 
- Hipersensibilidade ou alergia a qualquer um dos constituintes do suplemento alimentar.
- Não deve ser tomado por doentes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de lactose ou mal absorção de glucose – galactose.
- Mulheres grávidas ou a amamentar.

Se pensa que a suplementação de melatonina o pode ajudar, procure a opinião de um especialista, um Naturopata, Homeopata ou Farmacêutico. 

Postar um comentário